news_blockchain

Blockchain está ganhando espaço no mundo dos negócios e a contabilidade não é exceção

A blockchain tem grande potencial para revolucionar o universo contábil nos próximos anos, fornecendo um meio mais eficiente de armazenar e processar registros financeiros para fins fiscais.

Afinal de contas, a tecnologia pode proteger as transações lançadas contra-ataques cibernéticos, agilizar os processos contábeis e tornar os dados mais transparentes. Como resultado, os escritórios de contabilidade podem oferecer um serviço mais seguro e confiável aos seus clientes.

É justamente nessa perspectiva que o Grupo PRF pretende implantar a inovação a partir do segundo semestre. Concebida originalmente em 2008 para servir como uma espécie de livro-razão das transações envolvendo a moeda digital bitcoin, a blockchain também vem sendo utilizada em variados segmentos, como finanças, advocacia, construção civil e logística, entre outros.

Nela, cada transação é agrupada em um “bloco” e esses blocos são encadeados e protegidos por criptografia. Ou seja, uma vez que um registro é adicionado à blockchain, ele não pode ser alterado ou excluído, evitando a ação de fraudadores.

Por ser uma tecnologia descentralizada e que não pertence a nenhuma empresa, entidade ou órgão estatal, ela permite a criação de registros financeiros públicos que podem ser verificados por qualquer pessoa autorizada.

Além disso, as transações financeiras podem ser processadas rapidamente, 24 horas por dia, sete dias por semana, aumentando a precisão dos registros contábeis e facilitando auditorias e fiscalizações.

No entanto, ainda há muitos desafios a serem superados antes que a blockchain possa ser amplamente utilizada na contabilidade. É preciso que os governos e órgãos fiscalizadores reconheçam o valor e a aplicabilidade da tecnologia, para que possam regular e fiscalizar adequadamente os registros contábeis e fiscais lançados nessa imensa rede de blocos criptografados.

Ademais, é necessário que haja uma ampla aceitação da tecnologia entre os escritórios de contabilidade e as empresas.

Entretanto, uma vez superados esses obstáculos, a tendência é que os processos contábeis se tornem bem mais eficientes e menos burocráticos.

Graças à sua capacidade de criar registros seguros, confiáveis e imutáveis, bem como sua capacidade de automatizar muitos processos, a blockchain poderia tornar mais dinâmicos os procedimentos como abertura de firmas e verificação de autenticidade de documentos, por exemplo.

Enfim, estamos ansiosos para fazer nosso papel na evolução da blockchain no Brasil e ver as futuras conquistas e inovações que esse promissor sistema de registro distribuído trará para a área contábil e outros setores da nossa economia.

news_contabilidadegerencial

Contabilidade gerencial, essencial para aumentar a eficiência e a produtividade das organizações

Foco claro no desempenho e na conformidade com as regras fiscal-tributárias e previdenciárias traduz fielmente a essência da contabilidade gerencial em empresas, entidades sem fins lucrativos e na administração pública. Embora esse conceito esteja se difundindo cada vez mais no Brasil, ainda há um longo caminho a percorrer para se atingir um patamar elevado nesse quesito.

Diferentemente da contabilidade financeira, que leva em consideração os dados históricos, baseando-se em todas as mutações ocorridas durante determinado exercício, incluindo a apresentação de relatórios, a contabilidade gerencial fundamenta-se na geração de informações financeiras para projetar um orçamento futuro. Os dados auxiliam a administração na tomada das melhores decisões relacionadas ao desempenho dos negócios. É usada principalmente para fins internos.

Trabalho não falta, afinal o Brasil “desfruta” de cerca de 320 mil normas tributárias, com surgimento de 46, em média, a cada dia útil, de acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). E certamente influem, de alguma forma, na vida de cada ente jurídico.

A contabilidade gerencial, no formato como a conhecemos, teria surgido após a Grande Depressão (Crise de 1929), mais precisamente depois da 2ª Guerra Mundial. Desde a segunda metade do século passado até hoje, o objetivo central dela é a utilização de informações contábeis mais detalhadas.

O principal objetivo da contabilidade gerencial é auxiliar a administração de uma empresa no desempenho eficiente de suas funções – planejar, organizar, dirigir e controlar. Alguns processos revelam como essa ciência é essencial – fornece e analisa dados; ajuda em discussões significativas, a atingir metas; e utiliza informações qualitativas.

Ao fornecer dados, a contabilidade gerencial serve como uma fonte vital para o planejamento dos negócios. Os dados históricos capturados mostram o crescimento do empreendimento, o que é útil para a previsão.

A partir da análise de dados contábeis, estes são apresentados de forma significativa, calculando índices e projetando tendências. Essas informações são então analisadas para o planejamento e a tomada de decisão. O gestor pode, por exemplo, categorizar a compra de diferentes itens por período, fornecedor e território.

Ao ajudar a estimular discussões significativas, a contabilidade gerencial pode ser usada como um meio de comunicar um curso de ação em toda a organização. Usada nos estágios iniciais, retrata a viabilidade organizacional e a consistência de vários segmentos de um plano. Mais adiante, aborda o andamento dos planos e os papéis das diferentes áreas para implementá-lo.

Da mesma forma, ajuda a atingir metas ao converter estratégias e objetivos organizacionais em parâmetros de negócios viáveis. Esses objetivos podem ser alcançados impondo o controle orçamentário e o custeio padrão, que são partes integrantes da contabilidade gerencial.

A contabilidade gerencial não se restringe a informações quantitativas para a tomada de decisões, mas também considera as informações qualitativas, que não podem ser mensuradas financeiramente, a exemplo de dados sobre ciclos da indústria, força de pesquisa e desenvolvimento.

A geração regular de informações financeiras, como custeio padrão e marginal, avaliação de projetos e contabilidade de controle, além da manutenção de registros livres de erros, são ferramentas de gestão usadas pela contabilidade gerencial para aumentar a eficiência e a produtividade nas organizações – aspectos quem fazem toda diferença para o sucesso do ente jurídico.